assinar a newsletter

       Filtrar:
ArtRio 2015
  • Artrio3
  • Img_4616
  • Artrio2
  • Artrio1

A Galeria Millan participa da ArtRio 2015 com uma seleção de obras de seu grupo de artistas. Entre os destaques, figuram trabalhos de artistas consagrados como Artur Barrio, Miguel Rio Branco, José Resende. Nelson Felix, Rodrigo Andrade, Paulo Pasta, Thiago Rocha Pitta e Tatiana Blass apresentam obras recentes na feira.

Feriado 09 de Julho
  • _h5a1023
  • _h5a1046
  • _h5a1054

A Galeria Millan estará fechada nesta quinta-feira, dia 09 de julho de 2015. Desejamos a todos um ótimo feriado. Sexta-feira (dia 10/07) e sábado (dia 11/07), a Galeria funcionará normalmente. A exposição Travessias de German Lorca fica em cartaz até 25 de Julho.

Feriado Corpus Christi
  • _h5a4181

A Galeria Millan estará fechada nesta quinta-feira, dia 04 de junho de 2015. Desejamos a todos um ótimo feriado. Sexta-feira (dia 05/06) e sábado (dia 06/06), a Galeria funcionará normalmente. E é a última oportunidade para ver a exposição Lapa de Rodrigo Bivar. 

 

“Entre a abstração e a figuração”, com Rodrigo Andrade
  • Zeolympio_ra_6776_ruina_com_montanha_ao_fundo_40x80cm_2014
    óleo sobre tela 40 x 80 cm

 
Hoje, das 20h às 22h, Rodrigo Andrade irá realizar a palestra "Entre a abstração e a figuração" no Quintal Amendola, em São Paulo.
 
Inscrições pelo site www.quintalamendola.com.br ou pelo email: quintalamendola@gmail.com.

 

volume morto - uma instalação sonora de Lenora de Barros
  • _i3z8130
  • _i3z8333
  • _i3z8095

A instalação sonora volume morto, de Lenora de Barros, aconteceu no último sábado, dia 11 de abril, em uma casa no bairro Cidade Jardim, em São Paulo.

volume morto  nasceu inspirada na crise hídrica que assola a cidade de São Paulo. Numa piscina vazia, bolinhas de ping-pong foram reunidas e lançadas a partir de uma caixa d'àgua. As bolinhas fizeram parte de outros trabalhos da série ping-poems (1994-2000) da artista. E acabaram guardadas, por muitos anos, no estúdio de Lenora Barros; como uma espécie de “volume morto“ pessoal. A instalação sonora "volume morto“ foi uma realização da Galeria Millan em parceria com Ricardo Kugelmas e a galeria Broadway 1602.

Expediente no Carnaval
  • _mg_5763

A Galeria Millan estará fechada de 14 a 18 de fevereiro de 2015. Desejamos a todos um ótimo feriado.

André Millan em perfil no Valor
  • Captura_de_tela_2015-01-20_-s_11.07.49
    André Millan por Silvia Costanti/Valor.

O jornal Valor Econômico publicou extenso perfil de André Millan, assinado pelo jornalista Jacilio Saraiva, em que fala sobre os rumos da galeria.

A íntegra pode ler lida no website do jornal

Perfil: Dudi Maia Rosa
  • Dmr_6744_21x84cm_2014
    Sem título, 2014
Play assistir

O artista Dudi Maia Rosa concedeu entrevista ao CanalFMA, refletindo sobre a realidade contemporânea e questionando os diversos aspectos de sua vivência artísita. Veja no vídeo.

Berna Rele na Bienal de Veneza 2015
  • Br_6860_100x150cm_2014_bx
    Berna Reale: Cantando na chuva, 2014.

Os artistas Berna Reale, Antonio Manuel e André Komatsu serão os representantes nacionais do Brasil na 56ª Bienal de Veneza, a ser inaugurada em maio de 2015.

Novo livro de Lenora de Barros
  • Lb_o_que_une_separa2

A artista Lenora de Barros lança no dia 26 de novembro o livro o que une – separa, pela Ikrek Edições, na Galeria Millan. O livro integra a série ponto e vírgula, viabilizada via Lei Rouanet, em que artistas são convidados a conceber uma obra a partir de um único formato: 128 páginas; 15,5 x 23 cm. A edição de Lenora de Barros recebeu patrocínio do Itaú.

O desafio lançado pelos proponentes do projeto é encarar o livro em sua forma mais convencional e conhecida, como um livro de literatura, mas que pode receber qualquer conteúdo – de textos a imagens, tirando proveito das limitações impostas. No lançamento, haverá uma mesa redonda sobre o projeto, a partir das 19h, entre o artista e os editores.

O livro de Lenora de Barros é o resultado de uma investigação poética a partir do hífen, sua forma e significado, ao considerar o livro como um objeto autônomo e performático, tanto pela possibilidade de registro de um ato, como por ser sua manipulação, sua leitura, uma performance em si.

O símbolo, que é central na obra, dependendo de seu uso, une ou separa o que dele se aproxima. O percurso entre um bloco negro, o livro, até um símbolo e seus usos, o hífen, é aqui alterado por um ruído sutil: a presença da própria artista que o sustenta.

rua fradique coutinho, 1360 são paulo, sp brasil 05416-001 | tel/fax +55 11 3031 6007
Agencia-digital-d2b-comunicacao